FixoPolícia

André do Rap fugiu com HC do STF para ‘pacificar’ atuação do PCC na fronteira do Paraguai com MS

O narcotraficante teria sido encarregado pelos dirigentes do PCC a pacificar a fronteira entre o Brasil e Paraguai

A inteligência da polícia paraguaia está à procura do traficante André do Rap, líder do PCC (Primeiro Comando da Capital) em Amambay em Pedro Juan Caballero, que fica na fronteira com Ponta Porã a 346 quilômetros de Campo Grande. André fugiu para a fronteira desde que conseguiu a liberdade em outubro deste ano.

André do Rap estaria em Amambay para reorganizar a facção criminosa PCC depois que grupos de gangues pequenas estavam tentando tomar o controle do tráfico na região, segundo informações passadas da inteligência da polícia paraguaia para o site ABC Color. O narcotraficante teria sido encarregado pelos dirigentes do PCC a pacificar a fronteira entre o Brasil e Paraguai, por ser discreto e calmo.

Com a presença de André do Rap na região as gangues que tentavam dominar a área cessaram os conflitos e se uniram, segundo fontes policiais que estão à procura do narcotraficante em Amambay. Ainda de acordo com a polícia desde 2019 e início deste ano, vários crimes e ataques foram registrados pelas gangues que tentavam assumir o controle do corredor de tráfico de drogas e armas.

Soltura do narcotraficante

André de Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap, integrante do PCC (Primeiro Comando da Capital), foi solto no dia 10 de outubro deste ano, mas teve a soltura cassada pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) oito horas depois.

Ele havia sido solto por uma determinação também do STF, do ministro Marco Aurélio Mello. A pedido da PGR (Procuradoria Geral da República), o ministro Luís Fux cassou a soltura do traficante.

Já no dia 13 de outubro teve uma foto e dados incluídos na lista internacional de procurados da Interpol.

Mostrar Mais
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar