AlagamentosCorumbáFixo

Bombeiros e voluntários resgatam moradores de áreas alagadas pela chuva na região de Corumbá

Voluntários se juntaram aos bombeiros para resgatar moradores

A forte chuva que atingiu Corumbá na madrugada desta quarta-feira (13), causou alagamentos em vários bairros e na área central da cidade. A média foi de 130 milímetros de precipitação em pouco mais de três horas e meia, começando por volta da 01h.

De acordo com o meteorologista Natálio Abraão, na região da prainha do Porto Geral, o volume de chuva foi 158,6 mm e na área do Aeroporto, 123,2 mm. Corumbá já havia superado no dia 07 de janeiro, o esperado para todo o mês que era de 145,4 milímetros enquanto o volume acumulado, naquele dia, já havia chegado a 159,8 mm.

Desde a madrugada, equipes do Corpo de Bombeiros se desdobram para atender as ocorrências. Até o início da manhã, foram mais de cinqüenta chamados de moradores que tiveram as casas inundadas pela enxurrada. Os bairros mais atingidos foram Cristo Redentor, Popular Velha, Aeroporto, Maria Leite e Cravo Vermelho.

Rosangela teve a casa tomada pela enxurrada

Em muitos casos, os militares tiveram que resgatar pessoas e animais que ficaram ilhados e não conseguiam sair das casas invadidas pela água. Entre os resgatados, idosos, crianças e um bebê. No bairro Popular Velha, voluntários também se juntaram aos bombeiros, com o uso de corda, para resgatar moradores. Há também o registro de queda de árvores, deslizamento de terra no bairro Dom Bosco e na Cacimba da Saúde, mas segundo os bombeiros, ninguém se feriu.

Rosangela de Jesus Cassiano, de 49 anos, que mora na rua José Maciel de Barros, entre a Paraná e Rio Grande do Sul, bairro Cristo Redentor, contou ao Diário Corumbaense que há pelo menos quatro anos não enfrentava alagamento em sua residência. “Camas, móveis, roupas, tudo ficou embaixo da água. Até uma geladeira, que é do meu filho, foi arrastada pela força da enxurrada. Só depois que a água baixar é que vamos ter uma ideia de tudo que foi perdido”, lamentou.

 

Fonte DC.

Redação Gdsnews.

Mostrar Mais
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar