Destaques

Triste pela morte do pai por Covid, confeiteira esquece de entregar bolo e cliente exige entrega ‘de qualquer jeito’

Mulher vivenciava luto do pai e também resolvia questões da internação da avó, quando respondeu as mensagens de cliente. Só que ela se esqueceu e depois contou com ajuda de outras confeiteiras em MS.

A confeiteira Tatiane Areco, de 36 anos, vivenciava o luto pela perda do pai e, ao mesmo tempo, resolvia questões burocráticas de internação da avó, intubada por conta da mesma doença, em Campo Grande, quando recebeu no WhatsApp a mensagem de uma antiga cliente. A mulher pediu um bolo do Homem-Aranha e ela respondeu que entregaria a encomenda na data prevista. Só que o tempo passou e ela não se lembrava nem da conversa e muito menos do bolo que teria de fazer.

“Trabalho nessa área há quatro anos. Tenho tudo anotado na minha agenda, jamais deixei de entregar uma encomenda. E essa pessoa que pediu o bolo era cliente antiga e acho que justamente por isso ela poderia entender, só que exigiu a entrega de qualquer jeito. Ela ficou nervosa quando fui sincera e expliquei sobre o meu pai, minha avó e pedi somente um tempo para entregar o bolo”, afirmou Tatiane.

Conforme a confeiteira, o falecimento do pai ocorreu no dia 29 de junho e da avó na última sexta-feira (9). “Foi nesse tempo que nós conversamos e eu realmente não me lembro dessa conversa. Só assustei neste fim de semana, quando ela tocou a campainha. Para ser sincera, quando a avistei, imaginei qualquer coisa, menos que ela fosse falar do bolo. Só que me aproximei e ela já falou: ‘Oi. Vim pegar o bolo’. E aí eu voltei pra pegar o celular e achei a conversa que nem me lembrava”, comentou.

Mostrar Mais
Botão Voltar ao topo